Visita à Vinícola Angheben

Amigos, desde o dia em que provei o Gewurztraminer da Angheben para uma edição passada da CBE (relembre) tive uma vontade grande de conhecer esta vinícola e seus produtores. E lá fomos nós na segunda-feira de carnaval para visitá-los no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves.

Fomos muitíssimos bem-recebidos pela família, especialmente pelo sr. Idalêncio  e pelo seu filho, Eduardo Angheben, o enólogo da vinícola. Todos foram muito simpáticos, prestativos e atenciosos – enfim, figuras pra lá de carismáticas. Sou supeito para falar, mas acredito que a melhor parte da visitação de uma vinícola é isso: ouvir o que os viticultores têm para contar, aprender e passar bons momentos com eles. E bota bons momentos nisso – especiais eu diria. Enquanto estivemos lá, conversamos sobre os mais variados assuntos, desde a origem italiana de meu sobrenome, passando pela história da vinícola, os planos futuros as perspectivas do setor entre muitos outros assuntos. Um papo muito legal mesmo.

A vinícola Angheben foi fundada em 1999 e está localizada no coração do Vale dos Vinhedos. É uma vinícola de produtividade limitada – do jeito que eu mais aprecio – com produção em torno de 30 mil garrafas por ano, o que sem dúvida contribui e muito para o padrão de qualidade de seus vinhos. É difícil encontrar alguém que não gostado de um vinho da Angheben – seus vinhos são muito bem comentados nos blogs e publicações.

A proposta da vinícola é baseada especialmente nos vinhos tintos, com destaque para seu Pinot Noir e o Terodego 2005 – o xodó da casa. Levei ambos para minha adega, incluindo também um espumante champenoise (Chardonnay-Pinot) que não pude deixar de comprar, já que sou louco por espumantes. Durante o ano espero ir postando sobre eles aqui no blog – embora o Teroldego talvez passe ainda mais um tempinho guardado.. verei se resisto a tentação de abri-lo :)

É uma bela vinícola que sem dúvida vale a pena ser conhecida. Se o vinho nacional cresce em qualidade ano após ano, certamente é pela qualidade de vinhos como os da Angheben. Quando estiverem em Bento Gonçalves, não deixem de dar uma passada lá e conversar com o Sr Idalêncio e o Eduardo – garanto que será uma visita muito agradável.

Saúde a todos!

Na foto: Eduardo, eu e Idalêncio Angheben – com o ícone da Vinícola, o Terodego 2005. Foto de Vivian Costa

Ah.. em nossa Visita também fizemos um vídeo de uma fermentação/maceração de um vinho experimental que a Angheben está testando. Muito legal, pela primeira vez vi o processo ao vivo!

6 comentários para Visita à Vinícola Angheben

  1. Caro Tiago parabéns pelo blog.

    Sou fã da vinícola Angheben principalmente dos vinhos T.Nacional, Barbera e Teroldego. Já os consumo desde sempre. Quanto ao Gewurz considero o pior vinho deles. Sem cor, sem aroma e sem sabor. Parece água. É um vinho insosso e já disse isso ao Idalêncio que concordou comigo.
    O espumante já o considerei o melhor já feito no país, com sua cor acobreada, perlage finíssima e abundante, aromas de brioche, cremoso e pesado. Porém o estilo mudou radicalmente. Segundo o próprio Idalêncio me disse foi à pedido do Ciro Lila da Mistral/Vinci para que tivesse um perfil mais “comercial”. Com isso o espumante se tornou mais um na multidão, sem diferencial algum.

    Se quiser compre um Gewurz da Cordilheira de Santana e coloque ao lado do da Angheben. O mesmo vale para o espumante, compre um da Estrelas do Brasil e faça a comparação.

    Abraço,

    Eugênio Oliveira
    http://www.decantandoavida.com

    • tiagobulla says:

      Eugênio, muito obrigado pelo comentário. Que bom que gostaste do blog.
      Foi o primeiro Gewurz da minha vida (pois é, ainda sou inexperiente demais rsrs) Certamente provarei outros. Anotei suas sugestões.
      Forte abraço e saúde!
      Tiago Bulla

  2. Tiago,

    gosto muito dos vinhos da Angheben.

    o Eduardo e o seu Idalêncio são estudiosos, isso faz muita diferença em seus vinhos.

    O Teroldego é um ótimo vinho.

    Abraço,

    Gil Mesquita
    http://www.vinhoparatodos.com

    • tiagobulla says:

      Gil, se eu pudesse teria comprado uma garrafa de cada vinho deles – e umas tres garrafas do Teroldego, para acompanhar a evolução.
      De fato, é uma vinícola diferenciada, além de serem anfitriões de primeira.
      Abraço e saúde!
      Tiago Bulla

  3. [...] apreço e simpatia pelos espumantes brasileiros. Quando estive na vinícola Angheben ano passado (relembre) fui muitíssimo bem atendido pelo Eduardo e seu pai Idalêncio, dois grandes nomes da viticultura [...]

  4. [...] Angheben, já muito bem conhecida aqui pelos leitores do blog (sim, já falamos dela aqui – relembre). Sem dúvida, o Eduardo e seu pai Idalêncio proporcionam um clima de hospitalidade ao visitante [...]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>