Vale a Pena Conhecer: Don Abel Reserva Merlot 2008

Amigos, desde que me propus a explorar o mundo do vinho e a compartilhar minhas experiências aqui no blog, sempre busquei experimentar e conhecer vinhos de diferentes produtores, países, uvas e safras – e desta forma, evitei sempre repetir o mesmo vinho, a fim de “me dar a chance” de conhecer rótulos  interessantes. E eis que este “garimpo” como chamamos muitas vezes revela surpresas que nos impressionam muito positivamente – como o caso do nosso vinho de hoje.

Estava eu na loja da Vinhos e Sabores, em Porto Alegre – uma referência em vinhos e espumantes brasileiros, pode-se dizer – tentando encontrar um vinho “diferente”, de um produtor que eu ainda não tivesse experimentado nenhum rótulo. E foi dá então que dei de cara com este Merlot da Don Abel, de uma ótima safra e já indo para a casa dos dez anos, o que me chamou muito a atenção. Não tive dúvidas: tinha que experimentá-lo 🙂 Continue reading

Gimenez Mendez Malbec 2013 – Confirmando a Qualidade do Produtor

Amigos, é o que eu sempre digo: quando um determinado produtor faz um bom trabalho, preza por vinhos de qualidade e capricha pra valer, não há dúvidas: os resultados e o reconhecimento surgem naturalmente. E não é de hoje que os vinhos do competente produtor uruguaio Gimenez Mendez têm impressionado os enófilos – uma rápida busca nos blogs e sites especializados mostram isso de forma unânime. E então sempre que vejo um dos vinhos da vinícola na seleção do Clube Winelands não tenho dúvidas: pelo menos um dos rótulos acaba por ser meu escolhido.

O exemplar de hoje é curiosamente elaborado com a uva símbolo do país vizinho – a Malbec – e mais curiosamente ainda, em uma região cujo nome também se chama Mendoza (interessante não?). As uvas são provenientes da localidade de Las Brujas, assim alguns dos demais exemplares da vinícola que já provamos e passaram aqui pelo blog (relembre). Este belo Malbec estagiou por dez meses em barricas de carvalho francês e americano, além de um período de repouso em garrafa antes de ser colocado à venda. Mas vamos ao líquido:

Em taça o vinho mostrou cor escura púrpura brilhante, com muitos reflexos. No nariz mostra aromas com boa intensidade e muita complexidade, revelando especialmente notas de frutas negras como ameixa, além de especiarias como pimenta, um leve mentolado e algumas notas herbáceas. Em boca é um Malbec muito típico, encorpado, com ótima estrutura e acidez leve. O frutado confirma em boca e há leve lembrança do herbáceo em segundo plano. Taninos secam o paladar, pedindo comida. Final correto, com certa potência,  conferindo o ar gastronômico que todo Malbec de boa qualidade tem. Álcool a 13,5%, em boa conta.

Ótimo vinho. Acompanhou bem um sorrentino com carne de panela e molho (tenho uma fraqueza pela carne de panela – risos). Uma bela experiência e oportunidade em provar um Malbec sul-americano fora da Argentina. Recomendo.

Quanto custa? É vendido no site da Winelands por 123 reais.

Saúde a todos!

Mais um Ótimo Tinto do Alentejo: Conde de Vimioso Colheita Selecionada 2012 #cbe

Amigos, passado o feriado carnavalesco, inciamos o mês com o vinho especialmente escolhido para atender ao tema da Confraria Brasileira de Enoblogs – nossa querida CBE; possivelmente a primeira e única confraria virtual de vinhos do Brasil. E eis que o tema deste mês foi proposto pelo confrade Ewertom Cordeiro, que escreve o Blog Vinhos de Minha Vida. A sugestão, nas palavras do nosso enoamigo foi: “Como admirador dos vinhos portugueses e preferir os tintos sugiro um tinto alentejano com 3 ou mais castas”.

Particularmente considerei o tema ótimo :). Isso especialmente porque me agrada muito o estilo dos tintos Alentejanos – foi talvez o primeiro estilo de vinho que comecei a explorar depois dos sul-americanos e talvez por esta razão os vinhos desta região lusitana me cativam muito – sem contar também pela qualidade em si e pelo bom custo-benefício. Continuar Lendo

Esbanjando Elegância: Pitars Chardonnay Friuli Grave 2015 DOC

Amigos, em se tratando de vinhos italianos, devo dizer que pelo menos 90% de minhas experiências sempre foram ou com tintos ou com espumantes do tipo Prosecco – o tradicionalíssimo espumante italiano. Provei até então menos exemplares de castas brancas que gostaria – daí a razão pela qual escolhi este Chardonnay na seleção de vinhos do Clube Winelands do qual sou associado.

O vinho leva a Denominazione di Origine Controllata (DOC) de Friuli Grave, Continuar Lendo