Excelente para o dia a dia: Battistello Bag In Box Merlot Rosé 2015

Amigos, como sabem, eu sou um caçador implacável dos vinhos com boa qualidade e preços acessíveis. Em tempos de crise, dólar alto e impostos que levam os vinhos a preços estratosféricos, temos que arregaçar as mangas e, literalmente eu diria, garimpar as melhores opções – com os melhores preços. É daí que surge uma embalagem de vinhos icônica neste quesito: o Bag-In-Box – candidato número 1 para cumprir a missão daquele vinho do dia a dia, sendo agradável, bem feito e com um preço que caiba no orçamento.

Alguns bag in box já passaram aqui pelas nossas taças – já comentei inclusive sobre alguns exemplares da vinícola Larentis, que sempre foi uma referência nesse sentido (relembre).

Mas hoje amigos, trazemos uma alternativa muitíssimo interessante. Trata-se deste belo Rosé de Merlot, elaborado pela vinícola Battistello, com uvas de seus vinhedos próprios locados no Vale dos Vinhedos Continuar Lendo

O Vinho Campeão em Custo-Benefício do Brasil: Larentis Vigna D’Oro Merlot 2012

Larentis_Vigna_Doro_Merlot_2012

Estimados amigos

Acredito que este post tenha um caráter bastante especial. Não são raras as vezes que recebo pedidos de pessoas, amigos e leitores do blog solicitando uma indicação de um vinho “bom e barato”. Sinto que o consumidor em geral carece de indicações neste sentido. Muitas vezes as pessoas vão às lojas e supermercados, compram vinhos na faixa dos 10 a 20 reais, provam – e até aprovam – mas não ficam plenamente satisfeitas.

Pois bem, mas hoje, de fato, temos uma boa notícia para estes enófilos desamparados – pelo menos para aqueles que não têm nenhum preconceito descabido quanto aos vinhos brasileiros. Já havíamos provado a algum tempo atrás (relembre) este Merlot Bag in Box da Vinícola Larentis, da safra 2010. Com a proximidade do inverno resolvi dar um pulinho à serra gaúcha e passei pela vinícola – lindíssima por sinal, com um dos parreirais mais belos do Vale dos Vinhedos. Lá encontrei ainda à venda, felizmente, este Merlot em embalagem Bag, elaborado com uvas da excelente safra de 2012. Vamos ao líquido:

Em taça mostrou bela coloração vermelha rubi, escura, deixando lágrimas finas e transparentes. No nariz apresenta aromas de intensidade leve a moderada, com notas frutadas predominantes – especialmente frutas negras frescas – além de certo toque herbáceo discreto. Em boca tem corpo médio e boa acidez, equilibrada. Taninos finos, bem integrados, deixando o vinho fácil de beber. Notas frutadas e uma certa lembrança vegetal confirmam o olfato no paladar. Final é correto, levemente potente – álcool a 12% – sem amargor ou defeitos que comprometam.

Trata-se de um exemplar formidável para o consumo do dia a dia, daquela taça que acompanhar jantar ou até mesmo daquele copo de vinho que usamos para compor um belo molho de uma massa, e por aí vai. Pelo valor que custa (veja parágrafo abaixo) possui qualidade e tipicidades muito acima da média se comparado a outros vinhos de preço equivalente. É um vinho que me cativa e que me conquistou desde a primeira vez que provei – e não só a mim: vários outros enófilos e blogueiros também o aprovaram, com todo o mérito.

Quanto custa? Aí vem a melhor parte: pelo Bag-in-Box de 4 litros pagamos exatos R$ 39,50 na própria Larentis. Ou seja, uma garrafa de 750 ml deste vinho equivaleria a menos de R$ 7,50 – nestes moldes, pelo menos aqui, neste modesto blog, este vinho conquista com louvor o título de rótulo com o melhor custo-benefício que dispomos no mercado brasileiro. Uma excelente opção.

Saúde a todos!

Leia Também:

Larentis Vigna D’Oro Merlot 2010

Larentis Vigna D’Oro Merlot 2010

Amigos, enquanto eu experimentava este vinho, publiquei uma postagem no Facebook enaltecendo sua qualidade e excelente relação custo-benefício, chamando a atenção para o fato de que este é sem dúvida um exemplar que deve orgulhar nós brasileiros e que mostra que nossa viticultura tem potencial para competir no mercado com vinhos de baixo custo, competitivos e principalmente: de boa qualidade. Em época de muitos debates sobre a polêmica salvaguarda e infelizes boicotes aos vinhos nacionais, acho que este post cai muito bem.

Adquiri este exemplar recentemente na Vinícola Larentis – fui lá especialmente para comprar um vinho bag in box a pedido de minha esposa, que gosta da ideia de um vinho para o dia a dia. Acertei na mosca, modéstia a parte.

Esta linha Vigna d’Oro é uma variante com finalidade diferenciada da Larentis, voltada justamente para um consumo mais casual, típico de reuniões familiares – inclusive pela graduação alcoólica, levemente abaixo da média: 12%. E acho que o vinho cumpre muitíssimo bem a proposta a que se destina.

Em taça possui coloração vermelho rubi, com lágrimas finas e transparentes. Aromas leves, no início sobressaindo a madeira em boa conta, mas aos poucos dando espaço para algumas notas de frutas vermelhas . Em boca é um vinho com leve acidez, macio e fácil de beber – tem um leve toque apimentado, bem interessante. Poderia ter um pouco menos de madeira no paladar; os que gostam desta característica vão adorar. Final seco, com retrogosto frutado aparecendo bem.

O melhor de tudo deixei para o final: o preço. Pela bag in box de 4 litros paguei 32 reais, o que equivale a dizer que uma garrafa custaria SEIS reais. É o vinho mais barato que já passou aqui pelo blog e acredito que não será superado neste quesito – ouso dizer que é também o campeão do quesito custo-benefício. Como diria um tio meu, “nunca consegui tanto, com tão pouco”. Não há mais muito a dizer, recomendo fortemente – quem estiver passando pelo Vale dos Vinhedos, dê uma passada na Larentis para experimentar.

Nota: 3,0 (Bom –  dar uma nota a este vinho é uma tarefa ingrata; farei-o apenas por uma questão protocolar)