Ótima Compra: Casa Venturini Chardonnay 2016

Amigos, me recordo muito bem quando a Casa Venturini – competente vinícola sediada em Flores da Cunha – lançou seu Chardonnay. Era e sempre foi uma verdadeira sensação no mundo dos enófilos – a safra 2011 apareceu por aqui a alguns anos e foi aprovada com louvor (relembre). Fazia algum tempo que não experimentava este vinho e resolvi conferir este exemplar jovem, da recente safra 2016.

Conforme informações do site da vinícola, o vinho é elaborado com uvas da região da Campanha. Não há menção a passagem por madeira. Continue reading

Casa Venturini Chardonnay Reserva 2011

Casa_Venturini_Chardonnay_2011

Amigos, acho que já devo ter comentado aqui no blog que o consumidor brasileiro em geral, infelizmente, ainda não percebeu o grande potencial que temos nos vinhos brancos. Acredito que isso se deva à péssima qualidade e má reputação gerada ao longo dos anos pelos vinhos brancos de mesa – a grande maioria, quase intragáveis. Mas devo dizer aos amigos leitores do blog que ainda sentem  certa desconfiança que as coisas melhoraram sim, e muito! Estamos nitidamente, a cada ano que passa, melhorando a qualidade de nossos vinhos brancos. E acreditem: às vezes, um bom vinho branco pode ser tão ou até mais refrescante e agradável que um espumante, além de poder oferecer combinações gastronômicas muito interessantes. Quem se deixar envolver pelos encantos destes belos vinhos não se arrependerá.

Com o tempo, criei um apreço e carinho muito especiais pela Casa Venturini, vinícola de Flores da Cunha. Por aqui já passou um excelente Tannat, que ficou carinhosamente muito bem guardado em minha memória (relembre). Este Chardonnay é um dos campeões de vendas e de apreciadores da vinícola. É elaborado com uvas da região da campanha, sem o uso de madeira. Vamos ao que achei dele:

Bonita coloração amarela bem intensa, brilhante. Aromas com boa complexidade revelando frutas cítricas, como abacaxi, além de impressões mais amanteigadas e notas herbáceas. Aromas de compota e pêssego complementam o conjunto olfativo, que vai se tornando interessante à medida que a temperatura do vinho vai subindo lentamente.

Em boca é um Chardonnay de boa estrutura – bem encorpado e estruturado para um vinho branco. De cara já evidencia um ar bem gastronômico. Acidez na medida. Caráter frutado bem presente, embora eu ache que as notas herbáceas estão com intensidade maior, dando um ar de Chablis ao vinho, muito elegante e fino. Vinho harmônico no paladar, macio e agradável de beber. Final intenso, com boa duração, deixando um retrogosto levemente frutado, chamando a próxima taça.

Belo produto. Repetiria a compra e indico sem receios. Possivelmente o vinho branco nacional de melhor relação custo-benefício.

Pela garrafa pagamos 29 reais na Vinhos e Sabores, em Porto Alegre.

Saúde a todos!

Casa Venturini Tannat Reserva 2009

Possivelmente amigos, se alguém me questionasse hoje qual a minha variedade vinífera favorita eu responderia que é a Tannat. Não acho que isso se deva especificamente à minha recente viagem ao Uruguai, mas sim ao fato de que os vinhos elaborados com esta uva têm me cativado taça a taça nos últimos tempos. Além disso, não tem jeito: eu e minha esposa gostamos dos vinhos mais estruturados e encorpados – onde o Tannat atende bem os requisitos.

Este Tannat da Casa Venturini estava por um ótimo preço na Vinhos e Sabores e eu já tinha lido bons comentários no blog Vinho Para Todos do meu amigo Gil. As uvas são provenientes da região da Campanha. O vinho estagiou por 18 meses em barricas francesas e possui 14% de álcool.

O rótulo é muito bonito, com apresentação chamativa e elegante.  Na taça é um vinho escuro, com leve tom púrpura ou violáceo. Lágrimas marcantes, daquelas que mancham. No nariz apareceram aromas de frutas negras frescas, com um toque de especiarias – intenso e agradável. Leve madeira e um certo aroma de couro completam o conjunto.

Em boca é um vinho bem estruturado e encorpado. Acidez correta. Frutado confirmando o olfato, bem como as especiarias. Taninos bem carregados marcando o paladar. Final seco e marcante.

Amigos, não sei se este é o melhor Tannat brasileiro, mas possivelmente deve ser o que tem a melhor relação custo-benefício. Pelo preço da garrafa – 29 reais – entrega muita qualidade. É muito correto e bem-feito. Surpreendeu positivamente. Mais um rótulo que indico a quem quer provar um bom vinho brasileiro e não quer arriscar ou gastar muito.

Saúde!