Heartland Stickelback White 2008

Pois bem amigos, muito se tem falado nos vinhos provenientes da Oceania, em especial a Austrália e a Nova Zelândia, esta última muito conhecida pelos seus Sauvignon Blanc frescos e agradáveis. Por aqui já tivemos a presença de um Cabernet Sauvignon australiano da badalada vinícola Yellow Tail (relembre). Resolvemos provar um branco desta vez.

Trata-se de um vinho elaborado com as uvas Verdello (35%), Semillon (24%), Viognier (23%) e Pinot Gris (18%) – um corte um tanto inusitado por sinal. No Brasil, é importado pela Grand Cru. Possui 12,5% de álcool e o fechamento é através de tampa screw cap – uma tendência inexorável no mundo todo, pode-se dizer.

Em taça apresentou uma  coloração palha esverdeado. No nariz aromas um pouco tímidos, algumas notas herbáceas e vegetais. Em boca é melhor: é leve e com boa acidez. No paladar sentem-se aquelas “agulhas”, comuns de se encontrar nos vinhos verdes de Portugal. Achei o final potente, marcante e seco – foi a parte que mais me agradou.

Amigos, acredito que seja um bom vinho, mas o fato é que lá em casa não chegou a empolgar – e olha que estávamos em uma mesa com cinco pessoas. Confesso que decepcionou um pouco, esperava mais. Foi servido no mesmo jantar que o Miolo Reserva Viognier (relembre), que se mostrou um vinho superior. Mas mesmo assim, é um vinho correto, bem-feito e que vale sim a pena ser experimentado. Com certeza darei a ele uma segunda chance, possivelmente em uma safra mais recente. Pela garrafa, pagamos 46 reais.

Saúde!

Nota: 3,0 (Bom)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s