Vinícola Dal Pizzol Lança Vinho Super Premium

Vinho_Enoteca_artefinalizada

Amigos, como muitos já devem saber, não posso negar que fico empolgado com boas notícias no mundo do vinho. Especialmente quando as novidades dizem respeito ao lançamentos de novos e bons rótulos, priorizando a qualidade acima de tudo. Como já fiz em ocasiões anteriores, tomo a liberdade de compartilhar com vocês aqui no blog a notícia que recebi hoje: a Dal Pizzol está lançando no mercado brasileiro um novo rótulo, possivelmente aquele que será considerado seu ícone.

Tive a oportunidade de visitar a Dal Pizzol no ano passado (relembre) na companhia do querido casal de amigos Cristiano e Valdirene, do excelente blog Vivendo Vinhos. A vinícola tem um belo portfólio de vinhos, todos muito corretos, elegantes e bem-feitos. Daí a razão de meu entusiasmo ao saber que está sendo lançado este belo assemblage, batizado de Enoteca – alusivo à Enoteca da Dal Pizzol, localizada em seu belíssimo parque temático.

O vinho é um corte de uvas com 70% de Merlot, 15% de Cabernet Sauvignon e 15% de Cabernet Franc, sendo que a Merlot e a Franc são da serra gaúcha e a Cabernet Sauvignon é da campanha – uma boa combinação, diga-se de passagem, certamente procurando aliar as potencialidades de cada terroir. As uvas são da boa safra de 2011 e a produção, como manda o figurino de um bom vinho, é limitada: somente seis mil garrafas foram produzidas. O corte estagiou por 18 meses em tanques de inox e permaneceu outros seis meses repousando em garrafa, para agora então começar a ser comercializado. Não tem, portanto, passagem por madeira – um atrativo a mais para despertar a curiosidade dos consumidores.

O vinho pode ser adquirido por meio de contato direto com a vinícola, através de encomenda. O preço da garrafa é de 65 reais.

Para mais informações, acesse: www.dalpizzol.com.br

Saúde!

13 comentários em “Vinícola Dal Pizzol Lança Vinho Super Premium

  1. Pedro Wood disse:

    Como consumidor regular dos vinhos varietais Dal Pizzol fiquei curioso com esse corte, embora a composição não tenha me atraído muito.

    • Tiago Bulla disse:

      Olá Pedro
      Também gosto dos vinhos (e dos espumantes) da Dal Pizzol. Bom saber que você também os aprecia.
      Mas quanto a composição do corte, eu ficaria tranquilo: é um típico corte dos vinhos de Bordeaux, com as três uvas mais tradicionais da região francesa. Particularmente, sou um fã dos vinhos com a Cabernet Franc
      Ainda não provei, mas acho que o vinho promete. Veremos
      Obrigado pelo comentário e saúde!

  2. Pedro Wood disse:

    Tiago, é que curiosamente meus varietais favoritos da Dal Pizzol são, na ordem, Tannat, Ancellotta, Pinot Noir e Gamay Beaujolais. O fato de ser um típico corte dos vinhos da região de Bordeaux foi que me fez achar a seleção pouco ousada, diferentemente do Fausto Verve da De Pizzato, por exemplo. Obviamente não deixarei de experimentá-lo por causa disso, mas duvido que seu padrão seja superior ao desses varietais deles, que têm um padrão realmnte alto para o meu gosto. Depois que passamos a consumí-los regularmente ficamos muito “chatos” com outros vinhos que antes consumíamos. Vamos ver! Abraço e saúde!

    • Tiago Bulla disse:

      Olá Pedro!
      Aaahhh agora entendi perfeitamente seu ponto. De fato, também gosto destes varietais que citaste – o Ancellota é um dos meus favoritos.
      Mas acho que, de todo o modo, a Dal Pizzol parece ter investido na elaboração deste assemblage. Acho que vale a pena provar
      Uma coisa é certa: só degustando o vinho é que saberemos
      Um abraço e saúde!

  3. Leonel disse:

    Caro,
    Um vinho super premium por 65 Reais? Meio difícil de conceber. Se bem que o fato de não passar por madeira deixa o produto mais barato. Bem melhor que aquelas vinícolas que cobram menos de 30 Reais por vinhos que dizem passar por barricas novas de carvalho francês (“chips”???) por 12 meses. Como eu não acredito em papai noel, prefiro aqueles que admitem não utilizar madeira.
    Saludos,
    Leonel

    • Tiago Bulla disse:

      Olá Leonel! Primeiramente, muito agradeço pelo comentário
      Acho que a titulação sugerida pela vinícola (Super Premium) se deve bem mais no sentido de que o vinho em questão é superior aos varietais já conhecidos de sua linha tradicional. Ou seja, eles buscaram apenas colocá-lo em um patamar um pouco mais acima.
      Concordo 100% contigo sobre a questão madeira, e acho sim que o preço me parece honesto justamente pela não-passagem pelo carvalho. Pelo menos sabemos que estamos bebendo, não é verdade?
      Um forte abraço
      Tiago

  4. Manuel boelle disse:

    Tiago,boa tarde

    Conheci o ancelotta recentemente e achei fantástico , apesar de beber vinho diariamente meu conhecimento restringe-se a uva malbec da Norton e da catena, como você compara o dal pizzol ancelotta e o dv catena malbec malbec, existe alguma semelhança entre eles ?

    Abraços

    • Tiago Bulla disse:

      Olá Manuel!
      O Ancelotta da Dal Pizzol é um dos vinhos mais conhecidos e badalados deles. Quando estive na vinícola ano passado foi o que mais gostei.
      Acho que ambos os vinhos que citaste tem sim características parecidas: são bem estruturados a gastronômicos. O Ancelotta acredito que tenha mais acidez, enquanto que o Malbec é mais robusto.
      É legal que vc esteja sondando outros rótulos e abrindo horizontes. Encontrarás muitas surpresas, com certeza.
      Abraços e Saúde!

  5. Pedro Wood disse:

    Acabo de provar o Enoteca e minhas expectativas confirmaram-se: achei-o um bom vinho, mas nada de mais. Espero que na próxima vez que fizerem um corte arrisquem mais e usem uvas mais encorpadas na sua composição.

    • Tiago Bulla disse:

      Pedro, obrigado pelo comentário e por dividir suas impressões
      Fica aqui seu registro
      Ainda não experimentei ele, estou curioso
      Um abraço e saúde!

  6. sergio rover disse:

    Vinho excelente, dentro do que se propõe…mostrando que os brasileiros também são bons…

  7. […] em seu lançamento aqui no blog, quando nos deixou com uma certa expectativa e curiosidade (relembre). O corte é um bordalês típico, com 70% de Merlot, 15% de Cabernet Sauvingnon e 15% de Cabernet […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s