Uma Grata Experiência: Degustando um Angheben Elaborado com uvas Rebo

Angheben_Rebo

Estimados amigos, como todos sabem, tenho um grande carinho pela vinícola Angheben. Ouso dizer que é uma das vinícolas que me fez gostar de vinho e que me cativou a querer sempre saber mais sobre esta bebida tão fascinante e a explorar este universo. Sempre fui muitíssimo muito bem recebido na vinícola pelo Eduardo e seu pai Idalêncio, dois anfitriões exemplares.

Na primeira vez que estive na Angheben, Eduardo me comentou que eles estavam fazendo um  experimento com uma uva não muito conhecida por nós, brasileiros: a Rebo, um cruzamento da Merlot com a Teroldego. Na época, registrei em vídeo parte da elaboração do vinho “experimental”. Para quem não tinha  muito contato com o mundo do vinho na época, posso lhes assegurar que foi bem empolgante ver o processo ocorrendo diante dos olhos 🙂

Mas eis que em uma segunda visita à vinícola, Eduardo me presenteou com uma garrafa do dito vinho, sem rótulo, no intuito que eu o experimentasse – a foto do post foi com um rótulo por mim improvisado (risos)

Abrimos o vinho em um almoço de família descontraído, acompanhado de uma bela carne assada. Na ocasião, deixei-me levar pelo simples prazer de degustar uma novidade, elaborado em um lote tão único e limitado. Na descontração do momento, não fiz anotações – perdoem-me os leitores. Foi muito bom, sem dúvida. É um vinho, diria eu, delicado, elegante e que lembra um pouco o estilo de vinhos italianos -um Ancelota, talvez. A coloração é bem escura, densa. Aromas de frutos negros, sutis, mas que estão ali e se confirmam no paladar. Achei macio de beber e creio que acompanhou bem a carne. Típico vinho “de verdade”, como gosto de dizer.

Fico muito feliz em poder comentar sobre um vinho como este. Mostra que nossa viticultura pode ainda inovar e que há espaço para buscarmos ainda castas diferenciadas e que podem instigar o paladar do consumidor. O vinho confirma a qualidade dos produtos da Angheben e a característica arrojada e da vinícola de elaborar vinhos com castas mais “exóticas” como a Gewürztraminer e a Barbera, o que considero superbacana. Para mim, está aprovadíssimo. Quem sabe em um futuro próximo não teremos um exemplar da uva Rebo no varejo brasileiro? Tenho certeza: quem provar, vai gostar muito.

Saúde a todos!

Leia Também:

 Visita à Vinícola Angheben

Angheben Barbera 2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s