Um Inesquecível Exemplar desta Casta: Gimenez Mendez Pinot Noir 2013

gimenez_mendez_pinot_noir_2013

Escrevo este post amigos com um ar de felicidade no rosto que a tempos como enófilo não experimentava. E por dois motivos: primeiro que, como admirador já de alguns anos da viticultura uruguaia, não me canso de surpreender-me com os ótimos exemplares que lá são elaborados. E segundo, – e principalmente – pela descoberta deste vinho em particular, talvez um dos melhores Pinot que por aqui já passaram. Um post especial hoje, pode-se dizer.

Elegi o vinho em uma das seleções do Clube Winelands, do qual sou sócio (cada vez mais satisfeito, há de se dizer). Olhei para o vinho e, confesso, não tive qualquer dúvida na escolha:  1°) um Pinot 2°) Uruguaio e 3°) de uma vinícola que já nos agradou muito com um ótimo Sauvignon Blanc (relembre). Afinal, eram razões mais que suficientes para trazê-lo à adega 🙂

O exemplar é elaborado pela Gimenez Mendez com uvas da localidade de Las Brujas. O vinho amadureceu por um período de oito meses em barricas de carvalho francesas e recebe ao final uma pequena parcela de 4% de Pinot Meunier. Continuar Lendo

Casas del Toqui Gran Reserva Syrah 2012 #cbe

Casas_del_Toqui_Gran_Reserva_Syrah_2012

Pois bem estimados amigos, quando as pessoas normalmente me pedem indicações de vinhos tintos chilenos, devo lhes confessar: nem Cabernets e nem Carmenères me surgem à mente em uma primeira instância – confesso que sim, uma questão de gosto pessoal e paladar talvez. Nestes mais de cinco anos garimpando e escrevendo sobre vinhos neste blog, a casta que mais me conquistou com respeito a “tintos chilenos” é esta que hoje vos trago. E daí a razão pela qual escolhi este rótulo para o tema de outubro da nossa querida CBE, sugerido pelo confrade Evandro Vanti, que escreve o blog Vinhos que Provo: “um Syrah / Shiraz do novo mundo, sem limite de preço. Vale um 100% ou um corte, desde que a maior parcela seja dessa uva”.

Como adoro os exemplares chilenos desta casta, não tive dúvidas :). Elegi este rótulo da tradicional bodega Casas del Toqui, elaborado 100% com uvas Syrah cultivadas no Vale Cachapoal. O vinho pertence a uma linha intitulada “Terroir Selection”, onde a vinícola se propôs a explorar os melhores territórios para cultivar cada variedade, no intuito de se maximizar a qualidade dos vinhos. Continuar Lendo

Mais um tinto Grego que impressionou: Nemea Grande Reserve 2008

Nemea_Grande_Reserve_2008

Amigos, graças ao Clube do Vinho Winelands do qual sou sócio tive a oportunidade de conhecer diversos rótulos muito interessantes, provenientes de países menos comuns do nosso dia a dia. E um dos países que têm nos surpreendido positivamente é a Grécia – de onde provém este belíssimo tinto de hoje.

Trata-se de um exemplar elaborado com a variedade vinífera Agiorgitiko, uma casta estreante aqui no blog e que eu, confesso, até então ainda desconhecia. É uma variedade antiga – com direito a ‘lendas’ gregas e tudo o mais, largamente cultivada na Grécia especialmente no território de Nemea, localizado na região do Peloponeso. Continuar Lendo

Especialmente para a #cbe: Espumante Pizzato Brut Rose 2014 DOVV

Espumante_Pizzato_Brut_Rose

Estimados amigos, muito me alegra poder escrever hoje o post alusivo ao mês de agosto para nossa Confraria Brasileira de Enoblogs, a primeira e única confraria virtual de vinhos do Brasil. A escolha do tema deste mês coube ao confrade Marcello Galvão do blog Agenda de Vinhos, que sugeriu: “espumante brut rosé do novo mundo, elaborado pelo método tradicional”. Foi a perfeita ‘desculpa’ que eu necessitava para experimentar este belo espumante, que estava a alguns meses guardado em minha adega – eu aguardava uma ocasião para abrí-lo e achei que o momento não poderia ser mais oportuno 🙂

O espumante é elaborado pela competente Pizzato, um dos produtores brasileiros que mais conquistaram meu respeito e admiração ao longo dos anos – a exemplo de Angheben e Larentis, entre outros. Este brut rosé é elaborado por assemblage de uvas Chardonnay e Pinot Noir. Segundo contra-rótulo, o vinho repousou sobre as próprias borras por período mínimo de 9 meses. Continuar Lendo