Um legítimo Best Buy: Quinta de Pancas Seleção do Enólogo 2010

Quinta_de_Pancas_Seleção_do_Enólogo_2010

Pois bem estimados amigos, este vinho – como quase todos aqui do blog – carrega uma história bem interessante. Muitas vezes as pessoas questionam: “como eu devo escolher um vinho?”. Ou então: “como posso fazer uma escolha certeira, sem muita chance de erro?”. Talvez, neste sentido, o vinho de hoje vem a calhar.

Quando eu ainda estava na condição de associado Wine, recebi deles um cupom de desconto para compras de vinhos no site. Fui garimpando alguns rótulos, olhando informações, enfim, tentando escolher uma boa opção. Me detive de início nos vinhos portugueses – que eu particularmente gosto muito. Dentre os rótulos, este me chamou especial atenção: ele obteve 92 pontos pela avaliação da revista Wine Enthusiast, uma respeitável publicação no mundo dos vinhos. E, de quebra, estava custando abaixo de 50 reais. Parecia uma boa compra Continuar Lendo

Dica do mês, especial para enfrentar o calor: Solar das Bouças Loureiro Vinho Verde 2013

Solar_das_Boucas Loureiro_Vinho_Verde_2013Estimados amigos, a dica do mês de fevereiro fica por conta deste belo exemplar lusitano que experimentei a algumas semanas atrás: um leve e refrescante Vinho Verde, elaborado 100% com a casta Loureiro – algo raro de se ver, diga-se de passagem, haja visto que a maioria dos vinhos portugueses são normalmente elaborados com mais de uma variedade (às vezes, com várias, inclusive).

O rótulo é elaborado pela vinícola Van Zeller e não tem passagem por madeira. Vamos ao líquido:

Mostrou em taça coloração amarelo palha claro, com levíssima turbidez, típica eu diria.  Aromas de boa intensidade, com muitas frutas brancas cítricas como lima e maracujá, além de notas herbáceas, formando um conjunto que confere muito frescor ao olfato.  Em boca é leve com ótima acidez. Cítrico. Herbáceo presente, assim como o toque frutado. Final marcando com aquela sensação de agulhas na boca, muito típica dos rótulos da região. Refrescante ao extremo, chamando a próxima taça. Álcool a 11%, sem em nada incomodar.

Um vinho interessante e honestíssimo pelo preço que custa. Repetiria a compra com toda a certeza e indico a quem busca um exemplar refrescante para o calor do verão. Acompanhará muitíssimo bem pratos leves, peixes, saladas e pode ser apreciado até sozinho para bebericar descompromissadamente.

Quanto custa? É vendido no site da Wine por cerca de 32 reais, mas pagamos em torno de 27 reais já com o desconto de associado e entrega gratuita. Aos sócios do clube, inclusive, eu diria que é uma ótima pedida.

Saúde a todos!

Para conferir as Dicas do Mês anteriores, clique aqui.

Bacalhoa Catarina 2010

Bacalhoa_Catarina_2010

Amigos, confesso que este vinho foi uma compra no escuro, totalmente. Nunca havia ouvido falar dele e nem tinha indicações positivas. Mas, um dia desses, estava eu navegando na internet pelo site da Wine – ainda bem organizado, por sinal – procurando vinhos brancos portugueses interessantes. Tenho uma imensa curiosidade em conhecer cada vez mais os vinhos lusitanos – que por sinal, quase sempre fazem muito sucesso aqui em casa.

E então nesta pesquisa pelo site encontrei este exemplar, que me chamou a atenção. Um assemblage com uvas da Península de Setúbal, uma das mais tradicionais regiões vitivinícolas portuguesas, elaborado com três castas:  Fernão Pires, Arinto e Chardonnay. Segundo informações que pesquisei, o vinho é parcialmente fermentado em barricas de carvalho. Vamos ao líquido:

Em taça mostrou coloração amarelo claro dourado, muito vivo.  Aromas de boa intensidade com muitas frutas brancas cítricas lembrando lima, maracujá e certo damasco.  Há ainda um toque herbáceo leve lembrando grama e um pouco de anis.  Em boca tem acidez  mais discreta do que o esperado. A sensação cítrica fica mais evidente no final, em conjunto com certa potência que marca o paladar – em função dos 13,5% de álcool.  No geral o vinho tem boa estrutura, é macio e envolve o paladar, com leve lembrança mineral presente.

Um vinho muito interessante e que recomendo. E tem vocação gastronômica: bebê-lo sozinho pode torná-lo um pouco cansativo e difícil de apreciar. A harmonização com um tradicionalíssimo bacalhau é uma ótima pedida (lamento por não tê-lo degustado assim).

Quanto custa? O produto está em falta no site da Wine, infelizmente, mas na época devo ter pago um pouco mais de 50 reais.

Saúde e bom final de semana a todos!

Julian Reynolds Reserva 2007

Julian_Reynolds_Reserva_2007

Amigos, confesso que depois de quase três anos escrevendo meu modesto blog devo dizer que me sinto um felizardo por já ter experimentado vinhos muito interessantes. Ocorre que – de certa forma, infelizmente – a cada dia, semana a mês que passa parece que vai ficando mais difícil encontrar um vinho que de fato nos surpreenda positivamente. A quem está iniciando na viagem por este mundo espetacular, pode estar certo: esse dia vai chegar. Mas não posso negar que este rótulo de hoje me surpreendeu (e muito) e fiquei feliz em degustá-lo, assim como estou contente em poder escrever este post hoje.

Trata-se de um belo exemplar da vinícola Reynolds, que recebi a mais de um ano atrás pelo Clube Wine. Um assemblage mais-típico-impossível da região do Alentejo: 40% de Alicante Bouschet, 40% de Trincadeira e 20% de Touriga Nacional, com 12 meses de estágio em barricas de carvalho francês.

Em taça se mostrou com cor rubi/púrpura bem escura e fechada. Aromas que remetem à madeira em um primeiro momento, mas revelando um caráter frutado aos poucos, típico dos vinhos da região. Frutas negras e vermelhas frescas formam um belo conjunto, com boa intensidade. O vinho está muito vivo ao nariz, apesar de seus sete anos.  Em boca é que surpreende pra valer. Muito boa estrutura, encorpado e com o frutado aparecendo bem. Tânico do início ao fim, secando toda a língua. Acidez um pouco discreta, possivelmente já indicando que está em seu auge. Final potente, correto, vivo, deixando a sensação formidável de “quero-mais” a quem bebe.

Muito bom vinho, gastronômico e que dá prazer em beber. Nos surpreendeu. Como sempre, os vinhos alentejanos fazendo sucesso por aqui, felizmente. Indico a quem quiser provar – quem tem uma garrafa beba logo, acho que o vinho não ganhará mais com a guarda.

Preço: custa atualmente 85 reais no site da Wine. Pelo clube pagamos em torno de 50 reais. Aliás, possivelmente um dos melhores exemplares do Clube Wine que já experimentamos.

Em tempo: já tivemos um outro Alentejano da mesma vinícola aqui no blog, que se saiu bem por sinal (relembre).

Saúde!