Um Formidável Chianti Clássico: Principe Corsini Le Corti 2012 DOCG

Grandes amigos, iniciamos o mês de novembro com o pé direito, trazendo um exemplar muito especial. Este foi um dos vinhos que tive a felicidade de experimentar em minha visita à vinícola Principe Corsini, na Toscana (relembre) – tradicional e competente produtor da célebre região do Chianti Classico, certamente, uma das regiões vitivinícolas mais importantes do mundo.

O exemplar é um Chianti Classico tradicionalíssimo – o contra rótulo já deixa claro a que o vinho se destina: “Il mio vino del quotidiano“, alusivo ao caráter gastronômico e aprazível do vinho ao ser indicado para degustar no dia a dia, com as refeições. Continuar Lendo

Che spettacolo! Espumante Principe Corsini Brut Rosé

Espumante_Principe_Corsini_Rose_Brut

É com muita alegria amigos, que escrevo este singelo artigo na véspera do Natal, me recordando das lembranças do dia em que pude visitar e conhecer a vinícola Principe Corsini na Toscana. Sei que a região tem inúmera vinícolas e produtores de altíssimo quilate, mas garanto-lhes que, se algum dia eu vier a regressar àquela paradisíaca região, hei de retornar novamente nesta vinícola para apreciar seus belos vinhos, pois a experiência que tive me fez deveras bem e estará para sempre muito bem guardada em minha memória 🙂

Saudosismos à parte, lembro-me bem que quanto visitei a vinícola (relembre aqui), sentamo-nos à mesa ao final do tour para degustar os vinhos. Nisso, nosso guia, sr. Gianluca Carbone, nos questionou mais ou menos assim: “vocês não querem provar o espumante, querem?”, como quem desconfiava que estivéssemos interessados apenas nos tintos. Mas eis que respondi: “com certeza sim, queremos”. E lhes digo, a  decisão não poderia ser mais acertada. Continuar Lendo

Principe Corsini Cortevecchia Chianti Classico Riserva 2010 DOCG

Principe_Corsini_Cortevecchia_Chianti_Classico_Riserva_2010_DOCG

Estimados amigos, hoje é dia de post especial !

Definitivamente, não me considero daquelas pessoas que leva o dia dos namorados para aquele lado comercial exagerado da coisa. E tendo em vista que nesta data os restaurantes estão sempre superlotados, acaba que eu e minha esposa sempre preferimos passar esta data especial na calma e aconchego do lar, preparando um jantar romântico em casa – que até o momento, é o melhor restaurante que já jantei, sem exageros 🙂

Haja visto que se trata sim de uma data especial e cheia de romantismo, decidimos abrir um vinho especial. O escolhido foi este belíssimo Chianti, que já tive a oportunidade de experimentar algumas vezes, inclusive em nossa visita que fizemos à vinícola Principe Corsini, na Toscana (relembre!).

O vinho é um tradicionalíssimo Chianti Clássico Riserva, com 20 meses de passagem por barricas de carvalho francês e outros seis meses de descanso em garrafa. Elaborado com 95% de Sangiovese e outros 5% de Canaiolo e Colorino. Vamos às nossas impressões deste belíssimo exemplar:

Cor rubi escuro, tendendo a um tom púrpura, de leve transparência. Aromas com boa intensidade, essencialmente frutados, com muita fruta preta, ameixa e amora em destaque, com lembrança de compotas e especiarias. Há um leve toque balsâmico, típico, também presente. Em boca é muito bem estruturado, com excelente acidez e corpo médio. Taninos bem integrados, formando um conjunto ótimo com a acidez e marcando bem o paladar. Frutado presente, dando no final aquela lembrança de compota. A madeira está presente em toda a degustação,  mas não se sobrepõe em nenhum momento, estando muito bem agregada, e valorizando o vinho. Potente, com álcool a 14%, na medida.

Vinho incrivelmente prazeroso de ser apreciado, gastronômico,  e que chama a próxima taça com naturalidade. Acompanhou muito bem um típico cardápio italiano: spaghetti com molho de tomate e ossobuco. Uma grata experiência,  condizente com o charme que a data especial requer. Entre os mais de 250 vinhos que já experimentei e publiquei aqui no blog este, certamente, entra para o seletíssimo grupo daqueles que não serão esquecidos.

Quanto custa? No Brasil, a Domno vende o rótulo em sua loja virtual por 231 reais. Não me recordo ao certo quanto paguei na vinícola, mas creio ter sido algo na faixa de 30 Euros.

Saúde a todos!

Leia Também:

E na belíssima Toscana, Conhecemos a Vinícola Principe Corsini

E na belíssima Toscana, Conhecemos a Vinícola Principe Corsini

Uma das casas da charmosa vinícola

Uma das casas da charmosa vinícola, bem ao estilo da região

Estimados amigos, 2014 se encaminha para o fim. Um ano de muito trabalho para mim, mas com diversas realizações, boas experiências e claro, vinhos excelentes que felizmente tive a oportunidade de experimentar. Mas contudo, eu não poderia terminar este ano sem fazer um registro muito especial.

Na primavera deste ano eu e minha esposa realizamos um sonho: conhecer a Itália. E certamente a Toscana estava nos planos. Como o tempo era curto, decidi que visitaria somente uma vinícola, para poder sentir a sensação de conhecer um pouco da viticultura italiana. Lembrei-me dos excelentes vinhos italianos que experimentei em uma degustação da Domno (relembre) e não tive dúvidas: entrei em contato com eles e pedi auxílio para agendar uma visita à vinícola Principe Corsini. Prontamente, me atenderam e lá fomos nós.

A vinícola fica em uma belíssima propriedade, em um local paradisíaco, a poucos quilômetros da charmosa Florença. Alugamos um carro e fomos até lá, coisa de meia hora de viagem – seria ainda menos se não tivéssemos errado o caminho: paramos em um Monastério e um senhor nos indicou que a vinícola era mais além, e nos apontou a Villa (símbolo da vinícola) um pouco mais adiante. Já deu para tirar a primeira foto – vejam na galeria 🙂

Chegando lá fomos muito bem recebidos pelo diretor comercial da Principe Corsini, sr. Gianluca Carbone,  que nos mostrou um pouco da vinícola. A empresa é de um grupo familiar e produz vinhos desde o século XV. Foi a segunda vinícola que visitei onde percebi a utilização de tanques de concreto para estocagem de vinhos – a outra havia sido a Bodega Marichal, no Uruguai (relembre). Gianluca comenta que, apesar de não haver razão específica para tal, os enólogos da vinícola perceberam ao longo dos anos de experiência que o aço inox – comum nos tanques modernos – transmite algumas características desagradáveis ao vinho, o que não se verifica na utilização de tanques de cimento revestidos internamente por resina. Típico do aprendizado que me fascina.

O foco da Principe Corsini é na elaboração de um dos vinhos típicos italianos mais apreciados e respeitados mundialmente: o Chianti Classico. Nesta denominação, a Principe Corsini elabora especialmente três produtos, que tivemos a oportunidade de degustar na ocasião:

Le Corti: O vinho “de entrada” da vinícola, elaborado com 95% de Sangiovese e 5% de Canaiolo e Colorino. O Chianti tradicional, por assim dizer, com pouquíssima passagem por madeira – são doze meses de estágio, parte em tanques de concreto e parte em barris. O resultado é um vinho de boa acidez, agradabilíssimo para se beber no dia a dia, como reza o contra-rótulo, que traz a inscrição “Il mio vino quotidiano”

Cortevecchia Riserva: Meu favorito da vinícola e talvez o melhor Chianti que já experimentei – me apaixonei pelo vinho desde a primeira vez em que o experimentei (relembre). Mesmo Assemblage do Le Corti, mas com período de amadurecimento superior: são 20 meses em grandes barricas de carvalho (parte em tonéis), além de outros seis meses de descanso em garrafa. Um produto de qualidade acima da média, com excelentes estrutura e acidez. A produção é pequena e não chega a 7 mil garrafas.

Don Tommaso: O vinho Top desta tríade, de excelente estrutura e gastronômico a toda prova. É como eu conseguiria resumir este belo produto, um Chianti Classico elaborado com 80% Sangiovese e 20% Merlot, que estagia 15 meses por barricas francesas, sendo 70% novas. Um belíssimo vinho, de produção limitada a tão somente 16 mil garrafas.

Em nossa visita, ainda fomos agraciados com a degustação de um belíssimo Espumante Rosé Charmat, elaborado com Sangiovese. Quando chegamos à cantina para degustar os vinhos, Gianluca nos perguntou com certo ar tímido, se “por acaso” gostaríamos de experimentar o espumante. Respondi prontamente que sim – e até agora estou com o sorriso estampado na face ao me lembrar do momento. Foi uma grata surpresa e uma experiência incrível, um produto muitíssimo interessante. Vou deixar para comentar com mais detalhes em um post futuro, quando degustarei o espumante na calma e tranquilidade do lar.

Não poderia deixar de mencionar que, além dos vinhos, a Principe Corsini tem tradicional e respeitada produção de Azeite de Oliva Extra Virgem – produto que é levado muito a sério na Itália (mais do que imaginamos). Pela fala de Gianluca nota-se claramente a preocupação e o zelo com a qualidade deste produto, que também leva o selo do consórcio Chianti Clássico e por isso tem um nome de respeito a zelar a nível internacional. A vinícola elabora duas linhas de azeite – ambos prensados na própria propriedade (um diferencial, diga-se de passagem). O destaque vai para o Olio Extravergine di oliva DOP Chianti Classico Biologico (na foto dos azeites, o produto da esquerda). Até então, o melhor azeite que já experimentei. Simplesmente fantástico.

Segue galeria de fotos de nossa visita (clique na imagem para ampliar).

Desejo muita saúde a todos e um 2015 repleto de felicidade, realizações e conquistas!

Nota: Agradeço aqui imensamente ao pessoal da Vinícola Principe Corsini, em especial a pessoa do sr. Gianluca que tão bem nos recebeu, e pelo apoio da Domno do Brasil que  nos ajudaram a viabilizar este sonho.